Saiba por que a luta greco-romana feminina é o esporte que mais cresce nas escolas dos EUA

3 min read
Governos têm organizado campeonatos estaduais para incentivar a participação feminina. Escolas e treinadores tentam recrutar alunas para o esporte. Luta de mulher do torneio estadual da Pensilvânia, nos EUA, em fevereiro de 2024
Marc Levy/AP
A prática esportiva que mais tem crescido entre as alunas do ensino médio nos Estados Unidos é a luta greco-romana. Governos estaduais apoiam o movimento e organizam torneios espefícos para estudantes mulheres que praticam luta.
Uma das motivações do crescimento é o incentivo de treinadores e gestores que consideram que inserir mais mulheres na luta é uma questão de igualdade de gênero.
✅ Clique aqui para seguir o canal de notícias internacionais do g1 no WhatsApp
Uma das adolescentes que começaram a praticar luta greco-romana foi Jody Mikhail, do estado da Pensilvânia. Ela viu um pôster na escola dela, foi praticar e gostou.
No passado, uma aluna como ela teria treinado em uma equipe masculina, mas agora há times de mulheres e lutas de alunas contra alunas.
Os estados de Kentucky, Rhode Island e Pensilvânia organizaram os primeiros campeonatos.
Os torneios estaduais são importantes para esportistas que querem competir nacionalmente ou lutar na faculdade.
Luta é um dos esportes que mais crescem entre alunas do ensino médio dos EUA
LEIA TAMBÉM
Presença de mulheres melhora resultados, mas equidade de gênero nas empresas ainda está distante, dizem especialistas
Em várias partes do mundo, mulheres pedem mais igualdade e direitos
Nas ligas de esporte universitário, a luta greco-romana feminina é tida como uma prática emergente, e deve ter um circuito oficial em 2026.
Na Pensilvânia, um dos estados com os melhores resultados masculinos de luta, o número de lutadoras em escolas de ensino médio quase dobrou este ano. Em 2020 não havia nenhuma equipe de mulheres no estado, e agora há 180.
Brooke Zumas, uma ex-treinadora de luta, afirma que os torneios ajudam as esportistas a se sentirem que estão sendo acompanhadas pelo público e eventuais olheiros. Treinadores, conselhos escolares e dirigentes de atletismo têm recrutado meninas em suas escolas.
Savannah Witt, uma campeã estadual que luta há 10 anos diz que nunca houve torneios como os atuais. “É incrível de se ver. Eu costumava encontrar as mesmas três pessoas nos torneios. Agora não conheço metade das meninas”.
Mesmo com o aumento, o número de meninas que praticam luta no ensino médio é um quinto do número de meninos.
O aumento da participação de mulheres nos torneios de luta greco-romana é parte de uma tendência maior de mais participação nos esportes femininos. Os principais esportes que interessam as atletas do ensino médio são atletismo, vôlei, futebol, basquete e softbol (uma espécie de beisebol).
A luta é um esporte de nicho e tem regras muito peculiares. Lutadores e treinadores descrevem a prática como fisicamente exigente. Algumas das vantagens da luta é que há categorias de peso para cada tipo de corpo e não é preciso usar equipamentos para praticar.

You May Also Like

More From Author

+ There are no comments

Add yours